sábado, 10 de junho de 2017

Andando Pela fé: SATISFAÇÃO




"O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará" (Salmo 23).

Sim nós temos tudo que precisamos e somos muito gratos a tudo o que o Senhor tem permitido em nossas vidas, tanto de bom, como o que é aparentemente ruim e Ele pode transformar em benção, depende da nossa fé. E a fé vem de ouvir e ouvir a Palavra de Deus. Então leia-a todos os dias, de preferencia em voz alta. Você não precisa comprar livros, CDs, DVDs, destes sem vergonhas que fazem comercio com a Palavra de Deus, tirando descaradamente dinheiro das ovelhas e se enriquecendo enquanto as ovelhas perdidas não tem um pastor para olhar nos olhos e as consolar e ensinar a Palavra propriamente. Mas ninguem é orfão se em Deus como Pai e Jesus prometeu que enviaria o Espirito Santo para nos consolar. Ele cuida de nós melhor do que cuida das aves e das flores, para Ele temos um grande valor.

Então pega seu Biblia ou a abra na internet e leia, sem desculpas, sem preguiça. Pelo menos um capitulo por dia e foque no Cristo e o sirva em tudo que fazes, pois se o Senhor não edificar a casa em vão trabalham os que nela vivem.

Seja satisfeito com o que você tem e faça o melhor que puder o que esta fazendo. Não cobice as coisas do seu proximo.

Ponha a Palavra em pratica na sua vida.

Deus o abençõe e o guarde para a Vida Eterna.

Andando Pela Fé: PERDÃO



Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nós tem ofendido.

Andando Pela Fé: ESQUEDENDO-SE DAS COISAS QUE FICARAM PARA TRÁS



"Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,
Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" - Filipenses 3:3-13-14



Aguas passadas não rolam moinho.
O que passou passou.
Não adianta chorar o leite derramado.

Pela graça pedimos perdão dos nossos erros e vamos em frente, que atrás vem gente. Focando no Cristo,  em sua Palavra e na morada no Céu que nos espera.

Não podemos permitir que o Diabo nos atormente com coisas erradas e malignas, pecados, maus pensamentos e sentimentos. Temos que ter a mente única, que só acredita em Deus e não no mal. Mente dubia, ou dupla e uma praga. Focar no nosso único Deus, o qual nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é UM.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Pode de Uma Mesma Fonte Jorrar Água Doce e Amargosa?



Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo.

Vede também as naus que, sendo tão grandes, e levadas de impetuosos ventos, se viram com um bem pequeno leme para onde quer a vontade daquele que as governa.


Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia.


A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.


Porque toda a natureza, tanto de bestas feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana;
Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal.


Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus.


De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.


Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? ~ Tiago 3:3-11 ~

domingo, 4 de junho de 2017

SHAVUOT (PENTECOSTE): CELEBRANDO A DÁDIVA DA PALAVRA E DO ESPÍRITO SANTO



Quarenta e nove dias (7 semanas x 7 dias) depois de ter apressadamente saído do Egipto com a celebração da primeira Páscoa, o povo de Israel encontrou-se com o Eterno Deus junto ao Monte Horebe, no Sinai, para a recepção da Torah (matan Torah), a Palavra de Deus, o modelo de vida e de conduta que moldaria a nação de Israel para sempre. Assim começou Israel.
Quarenta e nove dias depois de ter celebrado a Páscoa com os Seus discípulos, o Messias Jesus cumpriu a Sua promessa, enviando e derramando o Seu Espírito sobre os 120 fiéis seguidores que se reuniam em Jerusalém. Assim começou a Igreja.
Celebra-se neste Domingo este duplo evento que nos gerou e nos deu vida. a dádiva da Palavra e a dádiva do Espírito Santo de Deus.
Devemos celebrar, mas mais ainda viver intensamente essa nova realidade, sendo diariamente abençoados e orientados pela instrução e revelação da Sua Palavra, e preenchidos no nosso interior com nada mais nada menos que com a presença do próprio Espírito de Deus, Aquele que veio para habitar para sempre nos nossos corações!
Chag Shavuot Sameach! Feliz Pentecoste!
Shalom, Israel!

Fonte: http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2016/06/shavuot-pentecoste-celebrando-dadiva-da.html

terça-feira, 23 de maio de 2017

O Cristo Estava Com Os Israelitas no Deserto



Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, 

e todos passaram pelo mar.

E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar,

E todos comeram de uma mesma comida espiritual,

E beberam todos de uma mesma bebida espiritual, 

porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; 

e a pedra era Cristo. (1 Corintios 10.1-4)

terça-feira, 9 de maio de 2017

Israel 69o. Aniversario do Dia da Independência


Deus abençõe Israel, pelo qual nós oramos diariamente, chamando por Jerusalém.

"Os nossos pés estão dentro das tuas portas, ó Jerusalém.
Jerusalém está edificada como uma cidade que é compacta.
Onde sobem as tribos, as tribos do Senhor, até ao testemunho de Israel, para darem graças ao nome do Senhor.
Pois ali estão os tronos do juízo, os tronos da casa de Davi.
Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam.
Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios.
Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Paz esteja em ti.
Por causa da casa do Senhor nosso Deus, buscarei o teu bem." (Sallmo 122)

 Jesus Cristo esta voltando para nós libertar totalmente dos orlas das trevas deste Maligno mundo.

Hino Nacional de Israel: (para ouvi-lo dê pausa na musica do blog no play acima)






Que o Senhor nos abençõe a todos, em nome de Jesus Cristo!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

George Müller, exemplo de dependência em Deus


George Müller, exemplo de dependência em Deus

O gigante da fé, George Müller (1805-1898), nasceu na Alemanha, e converteu-se com idade de 20 anos numa missão morávia. Foi para a Inglaterra em 1829, onde trabalhou para o Senhor até o final de sua vida.
George Müller
Em 1830, três semanas depois de seu casamento, Müller e sua esposa decidiram abrir mão de seu salário como pastor de uma pequena congregação, e depender exclusivamente de Deus para suas necessidades. Já desde o início, ele tomou a posição que manteria durante todo o seu ministério, de nunca revelar suas necessidades às pessoas, e de nunca pedir dinheiro de ninguém, somente de Deus. Ao mesmo tempo, decidiu que também nunca entraria em dívida por motivo algum, e que não faria reservas, nem guardaria dinheiro para o futuro.
Durante mais de sessenta anos de ministério, Müller iniciou 117 escolas que educaram mais de 120.000 jovens e órfãos; distribuiu 275.000 Bíblias completas em diferentes idiomas além de grande quantidade de porções menores; sustentou 189 missionários em outros países; e sua equipe de assistentes chegou a contar com 112 pessoas.
Seu maior trabalho foi dos orfanatos em Bristol, na Inglaterra. Começando com duas crianças, o trabalho foi crescendo com o passar dos anos, e chegou a incluir cinco prédios construídos por ele mesmo, com nada menos que 2000 órfãos sendo alimentados, vestidos, educados e treinados para o trabalho. Ao todo, pelo menos dez mil órfãos passaram pelos orfanatos durante sua vida. Só a manutenção destes órfãos custava 26 mil libras por ano. Nunca ficaram sem uma refeição, mas muitas vezes a resposta chegava na última hora. Às vezes sentavam para comer com pratos vazios, mas a resposta de Deus nunca falhava.
No decorrer da sua vida, Müller recebeu o equivalente a sete milhões e meio de dólares, como resposta de Deus. Além de nunca divulgar suas necessidades, ele tinha um critério muito rigoroso para receber ofertas. Por mais que estivesse precisando (pois em milhares de ocasiões não havia recursos para a próxima refeição), se o doador tivesse outras dívidas, se tivesse evidência de que havia alguma atitude errada, ou alguma condição imprópria, a oferta não era aceita.
E mesmo quando tinha certeza de que Deus estava dirigindo para ampliar o trabalho, começar uma outra casa, ou aceitar mais órfãos, ele nunca incorria em dívidas. Aquilo que Deus confirmava como sua vontade certamente receberia os recursos necessários, e por isto nunca emprestava nem contraía obrigações sem ter o necessário para pagar.
A seguir, um trecho da sua autobiografia, onde ele define sua posição com relação a dívidas:
Minha esposa e eu nunca entramos em dívidas porque acreditávamos que era contrário às Escrituras (Rm 13.8). Por isto, nunca tivemos contas para o futuro com alfaiate, açougue, padaria ou mercado. Pagamos por tudo em dinheiro. Preferimos passar necessidade do que contrair dívidas. Desta forma, sempre sabemos quanto temos, e quanto podemos dar aos outros. Muitas provações vêm sobre os filhos de Deus por não agirem de acordo com Romanos 13.8.
Alguns podem perguntar: Por que você não compra o pão, ou os alimentos do mercado, para pagar depois? Que diferença faz se paga em dinheiro no ato, ou somente no fim do mês? Já que os orfanatos são obra do Senhor, você não pode confiar que ele supra o dinheiro para pagar as contas da padaria, do açougue, e do mercado? Afinal, todas estas coisas são necessárias para a continuidade da obra.
Minha resposta é a seguinte: Se esta obra é de Deus, certamente ele tanto quer como é capaz de suprir todo o necessário. Ele não vai necessariamente prover na hora que nós achamos que deve. Mas quando há necessidade, ele nunca falha. Podemos e devemos confiar no Senhor para suprir-nos com o que precisamos no momento, de forma que nunca tenhamos que entrar em dívida.
Eu poderia comprar um bom estoque de mantimentos no crediário, mas da próxima vez que estivéssemos em necessidade, eu usaria o crediário novamente, ao invés de buscar o Senhor. A fé, que somente se mantém e se fortalece através de exercitar, ficaria mais e mais fraca. No fim, provavelmente acabaria atolado em grandes dívidas, sem perspectiva de sair delas.
A fé se apóia na Palavra Escrita de Deus, mas não temos nenhuma promessa de que ele pagará nossas dívidas. A Palavra diz: "A ninguém fiqueis devendo coisa alguma" (Rm 13.8), e: "Quem nele crer não será de modo algum envergonhado" (1 Pe 2.6). Não temos nenhuma base bíblica para entrar em dívidas.
Nosso alvo é mostrar ao mundo e à igreja que mesmo nestes dias maus do tempo do fim, Deus está pronto para ajudar, consolar, e responder às orações daqueles que confiam nele. Não precisamos recorrer a outras pessoas, nem seguir os caminhos do mundo. Deus tanto é poderoso, como desejoso, de suprir todas nossas necessidades no seu serviço.
Consideramos um precioso privilégio continuar a esperar no Senhor somente, ao invés de comprar mantimentos no crediário, ou de emprestar de bondosos amigos. Enquanto Deus nos der graça, olharemos somente para ele, mesmo que de uma refeição para a próxima tivermos que depender do seu suprimento. Já faz dez anos que trabalhamos com estes órfãos, e ele nunca permitiu que passassem fome. Ele continuará a cuidar deles no futuro também.
Estou profundamente consciente da minha própria incapacidade e dependência no Senhor. Pela graça de Deus, minha alma está em paz, embora dia após dia tenhamos que esperar a provisão milagrosa do Senhor para nosso pão diário.
Extraído da Revista Impacto (www.revistaimpacto.com.br), nº 25.
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Elias: provisão estranha numa missão profética na esfera política

Cartoon: Esta podia ter sido a sua vida! VOCÊ TEM UM TEMPINHO PARA LER?